Céu Bíblico

Céu Bíblico

Em uma das suas férias você provavelmente visitou uma fazenda ou praia, bem longe da luz da cidade. Nestas condições você pode ver muitas estrelas… Parece que o céu está mais perto, não é? A primeira vista nota-se uma confusão de pontos brilhantes sem nenhuma ordem.  Como se achar neste céu aparentemente caótico?

Imagine agora o céu visto dos pastos do antigo oriente médio.  Os primeiros pastores que tinham que passar a noite acordados guardando seus rebanhos olhavam aquele céu esplêndido e começaram a notar regularidades.  As estrelas não mudam a posição uma em relação à outra durante o seu lento movimento ao longo de uma noite.  Formaram então desenhos imaginários onde colocavam coisas do seu dia-a-dia e muita coisa da sua imaginação (lendas, deuses e histórias).  São as chamadas CONSTELAÇÕES.  Noite após noite, porém o conjunto de constelações visíveis muda lentamente (“uma noite conta segredos a outra noite”… ver Salmos 19:1-6).  No meio delas se movem “estranhas” estrelas errantes: os planetas (deriva do grego planetes: “que vagueia, que viaja”).  Estes astros movimentavam-se través de uma faixa do céu que se usou chamar de zodíaco (caminho dos animais).  Aos olhos dos antigos parecia que tinham vontade própria, alguns até se moviam para trás durante algum tempo (como se mudassem de ideia).  Sendo os astros mais brilhantes do céu: eram eles Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter, Saturno, Sol e a Lua – 7 astros errantes.  Daí surgiu toda uma mística em torno dos planetas e das constelações zodiacais.  Deste misto de astrolatria (adoração aos astros) e adivinhação surgiu a astrologia.  O nome mais apropriado para esta pratica mística seria astromancia (adivinhação através dos astros).  Praticamente todos os povos do Oriente Médio consideravam os planetas deuses.  Por isso os céus foram associados à idolatria nos textos do Velho Testamento.

Isaías 47:13 – “Cansaste-te na multidão dos teus conselhos; levantem-se pois agora e te salvem os astrólogos, que contemplam os astros, e os que nas luas novas prognosticam o que há de vir sobre ti.”

Juízes 5:20 – “Desde os céus pelejaram as estrelas; desde as suas órbitas pelejaram contra Sísera.”

Jó 38:31-33 – “Podes atar as cadeias das Plêiades, ou soltar os atilhos do Orion?

Ou fazer sair as constelações a seu tempo, e guiar a ursa com seus filhos?

Sabes tu as ordenanças dos céus, ou podes estabelecer o seu domínio sobre a terra?”

Usando o céu como um calendário os antigos podiam prever as estações do ano vitais para a sobrevivência numa sociedade agropecuária. Adoração e previsão andavam de braços dados.

Esta entrada foi publicada em Geral. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>